Espetáculo de rua, contemplado por edital da Aldir Blanc, estreia em Barra

O Governo Federal, o Governo do Estado do Rio de Janeiro, a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir
Blanc, apresentam no dia 17 de novembro, o espetáculo de rua BRASIL POR DENTRO E POR FORA , às 15 horas, na Praça As Primaveras, em Barra de São
João, distrito de Casimiro de Abreu.

A obra, que tem no elenco artistas de Macaé e Rio das Ostras, é uma realização do Grupo Cria Expressões Humanas e Grupo Apesar, contemplada pelo Edital Retomada
Cultural 2, na categoria B – tendo como tema o Bicentenário da Independência do Brasil.

BRASIL POR DENTRO E POR FORA promete arrancar boas risadas e reflexões da plateia com uma trupe de palhaços pra lá de atrapalhados – Seubruto, Lindura
e Catiço – que no improviso, à procura de uma lona de circo, emergem fatos e personagens da história do Brasil. Figuras alegóricas como a Identidade, a
Independência e a Arte são apresentadas. Um escravo nina o filho, com uma lenda sobre liberdade para amenizar a difícil viagem em um navio negreiro. O príncipe
regente Dom Pedro I e o poeta Casimiro de Abreu, ainda crianças, se encontram no tempo, surgidos da possibilidade imaginária dos palhaços. A brincadeira popular
do cabo de guerra faz o Brasil enfrentar Portugal para se libertar e, depois, os Estados Unidos. Livre, a trupe seduz a plateia com tudo que o brasileiro construiu
como o samba, a feijoada, o cordel, a reza. O verde, o amarelo, o azul e o branco da bandeira do Brasil. Seu bruto, Lindura e Catiço, carregam uma vontade imensa
de viver seu sonho – uma lona que abrigue o espetáculo a rodar o Brasil por dentro e por fora.


O espetáculo teve como base de criação, patrimônio e memória e, é o terceiro episódio de uma ação artística do Grupo Cria Expressões Humanas, realizada desde 2013: Memória In Cena, que faz um resgate de personagens, fatos e momentos históricos de cidades do Rio de Janeiro. Para Barra de São João, escolhida para a estreia – uma das abordagens é o “saudosismo”, tema trabalhado pelo poeta Casimiro de Abreu (poeta do Romantismo, movimento que lançou a ruptura do Brasil com Portugal).

Para a diretora Cláudia Byspo, neste contexto, o teatro aparece fora dos padrões do entretenimento e ganha consistência no discurso e na identificação, deflagrando no público a consciência do seu protagonismo na construção da história. A diretora explica ainda, que por ser um espetáculo que adota a linguagem para a rua, assumindo trabalhar as imponderabilidades, ganha potência e força. “O teatro de rua explicita a possibilidade de os transeuntes participarem da criação – ainda que momentânea de uma nova ordem e pensar sobre o real valor do verdadeiro Teatro Público. Estar na rua é escancarar um portão de acesso e anular alguns impeditivos de formação de plateia, como o valor do ingresso. A gratuidade é um convite sedutor, que multiplica a sedução pelo próprio seduzido”, argumenta a diretora. A idealização do espetáculo envolveu ainda medida de mitigação de impacto no meio ambiente, com a utilização de roupas jeans e adereços, que foram customizados para a confecção dos figurinos. “Fizemos uma campanha de doação de jeans e conseguimos todas as peças”, contam as produtoras Mariana Adolpho e Josie Schuenck.

Para a estreia foi planejada ação de acessibilidade da pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida, intérprete de libras e a colocação de cadeiras no espaço de
apresentação. “A rua é o espaço para o exercício da liberdade. Estamos falando de 200 anos de independência, passou da hora da inclusão efetiva do cidadão que
é o verdadeiro protagonista desta história”, proclama Cláudia.

O processo de criação, montagem e apresentação da obra, que ocorreu entre as cidades de Rio das Ostras e Macaé, com duração de quatro meses, abrigou cerca
de 20 profissionais – artistas, produtores e técnicos – direta e indiretamente. O projeto conta com apoio cultural da Prefeitura de Casimiro de Abreu, Fundação Cultural de Casimiro de Abreu, Atahualpa Produções, Grupo Acto, Centro Cultural Rinha das Artes, Cool People Jeans e Minadamata.

Ficha Técnica
Texto: Henrique Haddefinir
Direção, Maquiagem e Sonoplastia: Cláudia Byspo
Atores/cantores: Josie Schuenck, Flávio Xavier, Adriano Uzah
Figurinos e Adereços: Gabriel Cardoso
Composição Musical: Flávio Xavier e Adriano Uzah
Consultoria Teatral: Marcelo Atahualpa
Produção: Mariana Adolpho e Josie Schuenck
Intérprete de Libras: Paulo Henrique Santos
Projeto Artístico: Grupo Cria Expressões Humanas
Realização: Grupo Cria Expressões Humanas e Grupo Apesar
Patrocínio: Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal

Compartilhe esta Notícia

Veja mais Notícias

Cadastro de Artistas e Grupos

Acesse aqui o cadastro de artistas, grupos e equipamentos culturais